Forrozinho bom d+!!!

28/11/2007 at 18:19 (arte, Dança, forró, ritmos) (, , )

Pois é… já estava com saudade! Tem quase dez dias que não escrevo aqui e senti falta do espaço para me expressar! Então voltei!!!

Na tarde de hoje, quarta-feria, estava pensando no blog e ouvindo música quando me deu um estalo! Meu deus… não escrevi sobre forró aqui!!! Isso é um absurdo! Logo eu, que amo dançar E ouvir forró (o que justamente eu fazia nesta tarde). Então, cá estou eu!

 Luiz Gonzaga, grande cone do forró

Luiz Gonzaga, grande cone do forró

Luiz Gonzaga, grande ícone do forró

O forró tem um ritmo muito gostoso e eu costumo falar que só não gosta quem não sabe dançar. E também, só não sabe dançar quem não quer! Tenho o exemplo vivo: meu namorado dizia que odiava forró e nem se mexia quando a música tocava (o que eu achava impossível). Mas… ficando comigo resolveu aprender. Hoje é um “pé-de-valsa”, ou melhor, “pé-de-forró”.

O forró é uma denominação que compreende diversos ritmos, como o baião, pé de serra, xaxado e xote e tem sua origem no Nordeste. Já ouvi dizer que o termo nasceu do inglês “for all”, que queria dizer que esta é uma dança para todos. Mas o mais aceito é que ele vem da redução de forrobodó, que significa arrasta-pé, confusão e farra.

Como estou no Espírito Santo, não posso deixar de indicar que visitem Itaúnas, o berço do forró capixaba e universitário. Confesso que nunca fui, mas prometo que dessas férias não passa!!! Inclusive, o pessoal do Falamansa, no DVD ao vivo, conta um pouco da história do grupo e de como Itaúnas esteve presente nela.    

  

Anúncios

Link permanente 1 Comentário

Nuestros hermanos!

26/10/2007 at 18:24 (arte, Dança, história, ritmos, tango) (, , )

Sim, sim… hoje falarei um pouquinho do tango argentino! Bem, tudo começou porque meu namorado e os amigos dele querem viajar para a Argentina nas férias. Então, o que sai nos jornais sobre o local acabo lendo. Foi o que aconteceu no início deste mês.

Saiu na Folha de São Paulo uma matéria interessante sobre tango, e o quanto ele pode ser lucrativo. Para se ter uma idéia, a matéria coloca que a dança movimenta, anualmente, US$ 135 milhões diretamente e US$ 400 milhões indiretamente, somente na cidade de Buenos Aires! Mas o que me chamou mais atenção foi o fato de que uma pesquisa do Observatório de Indústrias Culturais da Cidade de Buenos Aires revelou que 23% dos turistas estrangeiros colocam o tango como símbolo principal da cidade, ganhando do futebol, que está em segundo lugar, com 10%.

                                                                                          Tango na RUA!

O tango. Nascido no final do século XIX nas periferias da capital portenha, o tango é o símbolo maior da Argentina. Inicialmente estava associado a cabarés e bordéis, já que somente as protitutas aceitavam bailar. Mas com o sucesso na Europa, o tango passou a ser aceito nas famílias tradicionais. O maior nome e grande divulgador da dança no mundo foi Carlos Gardel, inventor do tango canção. Ele morreu aos 45 anos, devido a um acidente aéreo durante uma turnê.    Vocês podem curtir um pouco mais de tango, e de Argentina, no blog Viaje na Viagem! Muito legal! 

Link permanente 3 Comentários

Com a palavra, Lorena Fafá!

26/10/2007 at 13:33 (arte, Dança, ritmos) (, )

Como já havia dito ontem, esse post será dedicato à um bate papo com a passista da Mocidade Unidos da Glória (MUG), Lorena Fafá.

Como e quando você começou a dançar?

Minha família tem uma relação muito forte com a música e a dança – nada profissonal, apenas amor mesmo. Então, desde quando eu era muito pequenininha, meus pais me incentivavam a dançar. Primeiro, eles me ensinaram a me mexer no ritmo da música, depois ensinaram alguns passinhos, depois me colocaram na aula de jazz na escola. Aí eu tomei gosto pela coisa. Dançava na escola, comandava os passinhos nas festinhas de aniversário… essas coisas… hahahaha… Nunca dancei profissionalmente… mas sempre gostei muito de dançar.

Como foi chegar a passista da MUG?

Foi assim: em 2005, fui a um ensaio da MUG com alguns amigos e fiquei apaixonada. Então, passei a ir com muita frequência aos ensaios. Alguns membros da escola me viram na quadra e me convidaram para ser passista. Só que para ser passista, eu tive que passar por uma seleção.

Foram duas etapas: a pré-seleção, que foi feita pela coordenadora das passistas, e o concurso, que foi realizado na quadra da escola em um dia especial. Cerca de 80 meninas participaram da pré-seleção. 45 participaram do concurso e, delas, foram escolhidas 30 para serem passistas oficiais da MUG.

Na pré-seleção, a coordenadora das passistas avalia o samba no pé, a postura e o corpo das meninas. Quem souber sambar, tiver uma boa postura e não estiver muito acima do peso passa!

No concurso, cada uma das meninas se apresenta para o público, individualmente e em dupla, sempre sambando ao som da Bateria. Os jurados escolhem as 30 melhores e divulgam no final da noite. Como em quaisquer outros concursos de beleza, ou de dança… sei lá! hahaha Depois que sai o resultado, todas sambam juntas..

Eu confesso que, quando eu entrei no grupo de passistas da Escola, eu não entendia muito de samba. Mas, com o tempo, frequentando os ensaios, observando as passistas mais experientes, testandos os movimentos, gestos e passos, eu consegui aprender bastante. Acho que é como todos os outros tipos de dança: quanto mais você ensaiar, melhor você dança.

Só para explicar aos desavisados, o que é ser a passista de uma escola de samba?

Nessa resposta, vou ter que transcrever a sabedoria popular: As passistas são a “nata” do samba; O coração da Escola! hahahaha!!! Nós não somos como uma ala normal da MUG, que só é formada no dia do desfile. As passistas estão sempre presentes nos ensaios da bateria e nas apresentações da escola. Sambamos por amor à escola e ao samba. Isso que é o mais lindo pra mim! =)

Acho que para todas as passistas, principalmente para aquelas que vivem na comunidade – o que não é o meu caso – o samba não é encarado como um hobby. Acho que é o exercício de um estilo de vida. Quando sambamos, colocamos todo nosso sentimento. E temos liberdade para expressar todos eles por meio da dança. Cada movimento de pés, mãos, braços, quadril, pernas, cabelo, cada olhar, cada sorriso revela um pouco do que somos e do que sentimos.

Para finalizar, na sua opinião, todo brasileiro nasce sabendo sambar?

Não. Tem taaaanto brasileiro que não sabe sambar neste mundo… hahahaha… Mas eu acho que o samba “está no sangue” de todo brasileiro. O ritmo é contagiante. Eu duvido que haja alguém neste país que não sinta uma vontadezinha de mexer o corpo quando ouve, de perto, o som da bateria de uma Escola de Samba.

Infelizmente o vídeo está um pouco fora de foco mas já dá para ter o gostinho!!!

Valeu Fafá!!!

Link permanente 3 Comentários

Sevillanas

03/10/2007 at 13:29 (arte, Dança, flamenco, ritmos, sevillanas)

Como disse no último post, o flamenco possui uma série de ritmos, cada um com seu estilo próprio de baile. Escolhi desta vez falar sobre as sevillanas, o primeiro ritmo que aprendi a dançar e o considerado mais simples. As sevillanas eram canções folclóricas que se “aflamencaram” com o tempo.

Elas nasceram para acompanhar o baile, geralmente se dança em par e é uma série de quatro sevillanas. Os temas normalmente exaltam o todo andaluz, principalmente o sevillano (quem nasce em Sevilla, Espanha). Elas são acompanhadas preferencialmente por palmas e guitarras flamencas (violão!). 

Infelizmente, não encontrei um vídeo que a alegria das sevillanas estivesse mais aflorada! Então, convido a todos (e na sexta eu lembro a vocês) para apresentação da Alma Andaluza Cia de Danza (da qual faço parte) e de outros grupos, que se realizará no sábado (06), pela manhã, na pracinha de Vila Velha (ES). Lá vocês poderão conferir mais sevillanas!!!

Até sexta com mais informações sobre a apresentação e um novo ritmo!

Link permanente 4 Comentários